No Brasil, temos ainda poucas experiências com a Educação Condutiva, aparecendo como registro mais significativo, os dados encontrados no site DEFNET: http://www.defnet.com.br:

* 1990 – Iniciado o processo de aplicação do sistema no Brasil, através do GRHAU, liderado por Vera Lúcia Bailão Marujo e Janice De Nardi, em São Paulo, SP.

* 1993 – A professora Ildikó Kozma assume como diretora-geral do Instituto Petö, na Hungria.

* 1995/96 – Primeiros contatos por correio comum do Dr. Jorge Márcio Pereira de Andrade com o Instituto em Budapeste. Realizada a I Oficina de Educação Condutiva de Ribeirão Preto, com 15 crianças com paralisia cerebral, promovida pelo CEBRIJ – Centro Brasileiro de Infância e Juventude.

* 1996 – Realizado o I Encontro Rio-São Paulo de Educação Condutiva, promovido pelo DefNet, no Rio de Janeiro, RJ.

* 1996 – O Boletim InfoAtivo nº 4 Ano 1, publica matéria sobre Educação Condutiva com sugestões de contato e indicações para pesquisa.

*1997 – Realizado o I Curso de Introdução ao Sistema de Educação Condutiva, sob orientação do GRHAU, promovido pelo DefNet, no Rio de Janeiro, RJ.

Também registramos uma cronologia a partir da nossa experiência:

* 2004 – Primeiros contatos com a associação mexicana de desenvolvimento da Educação Condutiva – ConNosotr@s

* 2005 – Participação de uma equipe de profissionais e duas crianças com seqüelas de paralisia cerebral no Primeiro Curso Teórico-Prático de Educação Condutiva, em Cuernavaca – México.

* 2006, janeiro – I Curso de Verão de Educação Condutiva em Santa Catarina, na cidade de Itajaí, com o condutor mexicano Irving Ortiz da instituição ConNosotr@s.

* 2006, março – Fundação da Associação Beneficente Pássaros de Luz com o objetivo de desenvolver e divulgar a Educação Condutiva.

* 2006, agosto – II Curso de Educação Condutiva em Santa Catarina, na cidade de Florianópolis, com o condutor mexicano Irving Ortiz da instituição ConNosotr@s.

* 2007, julho – iniciada em Itajaí, a Educação Condutiva para um grupo de alunos com a condutora mexicana Evangelina Raquel Labastida Del Toro. Este grupo fez parte de uma pesquisa que teve  por objetivo avaliar as contribuições da Educação Condutiva para crianças e adolescentes com paralisia cerebral em programas de atendimento especializado, desenvolvidos nas seguintes instituições: Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Educação Condutiva, Fundação Catarinense de Educação Especial e APAEs de Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí.

Anúncios