Para facilitar o processo de Educação Condutiva seis elementos são importantes e necessários:

1. O condutor

2. O programa

3.  As tarefas em série

4. As facilitações

5. A Intenção rítmica

6. O grupo

1: O Condutor

É o profissional, especialista, capacitado para exercer a ação de educar pelos princípios teóricos e práticos do sistema Petö ou Educação Condutiva. Recebe formação de quatro anos, com um currículo multidisciplinar.

  • É responsável pela avaliação inicial, planejamento, a organização e a entrega do programa;
  • Planeja situações que incentivem a aprendizagem e a resolução de problemas;
  • Observa o desempenho de cada pessoa e também do grupo, para modificar o programa e o calendário de acordo com suas necessidades;
  • Cria experiências positivas de aprendizagem, encorajamento e confiança entre as crianças e adolescentes;

O condutor planeja os objetivos explícitos e imediatos durante a programação diária, para que cada elemento do grupo possa colocar em andamento uma atividade a partir de seus próprios esforços.

2: Os Programas

Os programas de Educação Condutiva são estruturados para um trabalho

embasado nas relações grupais e nos processos de interação entre todos os envolvidos no processo educacional.

  • Incluem atividades de vida cotidiana, que são inter-relacionadas com as tarefas em série e o programa pedagógico;
  • A programação ou rotina diária deve assegurar um desenvolvimento integral;
  • Os programas são organizados por uma série de ações, chamadas “tarefas em série”.
  • Os programas incluem objetivos reais, próximos e funcionais e cada um tem características e qualidades específicas e bem definidas.

No dia a dia, a rotina de trabalho pode apresentar diferentes programas: programa deitado; programa sentado; programa preparatório para em pé; programa em pé; programa manipulativo, programa individual e programa cultural/pedagógico.

3: As séries de tarefas

As séries de tarefas são a base da sessão de trabalho, pois preparam  as pessoas para a função. As tarefas são uma parte estruturada do programa diário.

  • São designadas com o objetivo de permitir que os participantes desenvolvam uma consciência gradual de seus movimentos.
  • São ensinadas, aprendidas, praticadas, generalizadas e utilizadas.
  • Cada membro do ‘ grupo ‘ tem conhecimento do seu objetivo e trabalha para a conclusão da tarefa
  • Como o objetivo é aprendizagem e desenvolvimento, as tarefas são ferramentas de ensino, e não um conjunto de exercícios;
  • As tarefas são apresentadas de tal forma que permite ao indivíduo ter êxito e ao mesmo tempo, aprender uma nova habilidade ou reforçar uma recém adquirida;
  • Elas são planejadas a partir das necessidades do grupo, da faixa etária, do nível de desempenho do grupo e respeitando as diferenças individuais.

As tarefas em série são elaboradas cuidadosamente para assegurar que os alunos sejam estimulados a explorar e a mostrar as suas habilidades, ao invés de olharem apenas para as suas deficiências.

4: As facilitações

Pode ser compreendida como uma ajuda educacional, todas as influências positivas de estímulo que oferecem  apoio para cada aluno desempenhar uma atividade de forma independente.

  • As facilitações podem ser um apoio manual, verbal, instrumental, social ou a “intenção rítmica”.
  • Cada facilitação deve oferecer segurança, com o mínimo de ajuda apropriada para o aluno iniciar, continuar ou terminar uma tarefa.
  • O grupo pode ser também uma fonte facilitadora que estimula tanto a imitação quanto a originalidade.
  • Uma facilitação só pode ajudar quando é compreendida como necessária para alcançar um objetivo.

O que caracteriza a facilitação condutiva é que o aluno, durante esse momento, usa a “intenção verbal”, tencionando a ação com as palavras: “estou esticando meu braço (direito ou esquerdo)”…

5:Intenção rítmica

É a técnica pela qual a criança utiliza a fala ou o discurso interior para expressar uma intenção e é seguida pelo movimento, que é realizado ritmicamente.

  • O uso da linguagem para planejar, imaginar e realizar um movimento.
  • O uso da fala ou discurso interior para expressar a “intenção”.
  • Ela focaliza a atenção sobre o movimento
  • Na prática, a intenção rítmica acontece quando o condutor verbaliza pequenas tarefas, como objetivos específicos, e os alunos iniciam o movimento, expressando verbalmente sua intenção na primeira pessoa, como por exemplo: “Estou sentado reto, reto. Eu levanto meu braço direito acima, acima, acima… 1,2,3,4,5”.

Segundo Irving Ávila, condutor do Centro de Educação Condutiva, “como a pessoa com lesão cerebral tem uma falsa imagem do movimento, a intenção rítmica ajuda a formar esta imagem, através da conexão entre a fala e o movimento.”

6: O Grupo

O grupo favorece que as pessoas estejam mais próximas umas das outras e tenham a oportunidade de interagir entre si. O grupo assume uma atmosfera de valorização e reconhecimento mútuo e exerce influência significativa nos outros.

  • Eles aprendem não só com o seu condutor, mas de seus pares.
  • São encorajados a se tornarem interessados e a trabalhar para terem sucesso.
  • O grupo incentiva cada um a esperar por sua vez no atendimento ou, inversamente, para pedir ajuda.
  • A experiência em grupo influencia positivamente o aprendizado.
  • O condutor, como um líder, motiva e orienta para que os alunos trabalhem aprendendo e acreditando que podem fazer cada vez melhor.

Essa expectativa positiva cria novas possibilidades para mais aprendizado, pois busca soluções no campo da atividade potencial, e não no campo das dificuldades criadas pela deficiência.

Anúncios